Mesmo se respirar fundo o nó na garganta não se desfaz, os olhos ainda se enchem daquilo que está inundando seu coração, sua boca se contorce ao tentar em vão segurar um soluço que saí alto demais. A última coisa que poderia acontecer é alguém ouvir seus murmúrios e ir perguntar o que está acontecendo, porque você não quer explicar nada, pois é algo seu, só seu. Você sabe que a tristeza é algo que todo mundo sente em diversos momentos da vida, para alguns é sentida mais intensamente que para outros, mas todos sentem e talvez a carregam por um tempo. Porém, para você era diferente, pelo menos você acreditava assim, que sentia mais fundo e não passava nunca, apenas aumentava e diminuía dependendo do que lhe acontecia no correr das vinte e quatro horas.

Para os outros poderia ser drama, fraqueza, imaturidade, eles não entenderiam seus motivos e te julgariam como se conhecessem você melhor que conhece a si mesma. Por isso, você resolveu se fechar e jogou a chave fora e se alguém batesse na porta não responderia porque não queria desmoronar na frente de ninguém. Era só proteção para evitar novos ferimentos, já que não conseguia mais confiar tão facilmente como fazia antes, quando ainda estava inteira e não buscando seus pedaços por aí. E não tinha dúvidas de que estava melhor assim sem quase nada porque seria mais difícil de voltar a se perder. E eu a entendo, já senti as pancadas que recebi de pessoas que prometeram nunca me machucar, também chorei noites inteiras e na manhã seguinte vesti um sorriso que não me servia muito bem, então joguei sonhos infantis fora e passei a usar armaduras aonde quer que fosse.

Mas foi então que parei de olhar para o chão procurando mais tristeza no meio dos destroços e me lembrei de que sobre mim havia algo azul. Senti o vento me abraçando e uma voz que eu havia calado dentro de mim falou com sussurros roucos que eu ficaria bem. Então, a voz aumentou e disse que se chamava Espírito Santo, Aquele que Jesus prometeu enviar logo depois de sua partida e que seria nosso Consolador. E no momento mais desolador percebi que não estava só como imaginei, pois havia uma Trindade ao meu lado, mas que a névoa da minha dor não me deixou enxergar.

Talvez, a sua neblina também esteja bem espessa fazendo você acreditar que não há nada além da sua dor, mas a verdade incontestável é que há uma cura te aguardando do outro lado. Eu sei que você está com medo de se entregar novamente e não receber nada em troca, mas preciso te dizer que em Deus só iremos ganhar e tudo por sua misericórdia. Consegue abaixar só um pouquinho a guarda e abrir a porta para Ele entrar? Não precisa ficar desconfiada e não se assuste se Ele demonstrar que te conhece tão bem e falar que te ama apesar de tudo o que te aconteceu. Deus tem mesmo essa facilidade de ver o que escondemos no escuro e não deixamos ninguém saber. Você pode até chorar durante o processo, soluçar o quanto quiser, não precisa ter vergonha porque Ele não irá te julgar e nem te chamar de fraca, mas irá te embalar em seus braços enquanto vai te curando do mal que o mundo te causou.

Deixa Deus trazer de volta sua esperança, se permita sentir a paz, o consolo e felicidade que Ele tem, não se negue essa chance de recomeçar. Não digo que será fácil se sentir amada e cuidada quando já te fizeram acreditar que você era um nada, mas Deus é o único que pode te amar e cuidar como você merece. Comece com uma oração sincera, medite em sua palavra sempre que sua mente se encher de dúvidas, louve mesmo que esteja num deserto, não se afaste de Deus, Ele quer tanto mudar sua história, aceite a cura e você nunca mais voltará a habitar naquele antigo castelo protegido por muralhas de aparente insensibilidade.

COMPARTILHAR
Tatielle Katluryn
20 anos, maranhense, de coração pertencente ao Céu. Quero a cada dia mais transmitir as palavras que Deus quer dizer às pessoas.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here